sexta-feira, 27 de junho de 2014

"AUSCHWITZ - OS NAZIS E A « SOLUÇÃO FINAL» "



"Auschwitz - Os Nazis e  a «Solução Final»" é uma obra em que Laurence Rees investiga exaustivamente o horror constituído tão só pela existência de um complexo como o de Auschwitz-Birkenau, na Polónia, e de tudo quanto de baixeza e crueldade humana isso significou.

Pela sua especificidade , tornou-se o macabro símbolo da política racial e étnica nazi durante todo o seu período de funcionamento ( 14/6/1940 - 27/1/1945), em que milhões de seres humanos de todas as etnias, idades , sexo , pensamento político, orientação sexual , religião, ali foram escravizados, torturados , assassinados.

Refere , igualmente,  a instalação de um bordel e a maneira como os prisioneiros masculinos utilizavam sexualmente as prisioneiras.

Assim como, inevitavelmente, fala nas experiências de Josef Mengele e restante equipa médica.

No entanto, não foi construído propositadamente para  o extermínio de judeus nem nunca foi esse o seu principal objectivo. Aliás,  campos de extermínio existiram, muito menores, certamente sem precedentes históricos , em que se praticou maior assassinato massivo e de que  hoje, dalguns nem vestígios restam : Belzec, Sobibór e Treblinka, cujo funcionamento  começou em 1942.

Foca também o comportamento dos próprios judeus enquanto responsáveis pelos guetos criados ( Mordechai     Chaim R. , dirigente do de Lódz, exemplificando, que esteve longe de ser irrepreensível) e de como se vingaram dos alemães ,após a vitória dos Aliados, sem grandes escrúpulos.

Aborda a maneira como os diversos países protegeram ou não os  seus cidadãos judeus e de como os receberam após a libertação. E, francamente, naqueles que ficaram sob a URSS - que até as pessoas soviéticas tratou indecentemente -  tiveram problemas bem graves.  Sendo assim, percebe-se que tenham querido criar Israel, o que criou um problema maior ainda e sem fim à vista (também pelo apoio incondicional dos EUA ao novo país), isto é, o duro conflito israelo-palestiniano.

O interesse do livro  é muito, porque analisa com profundidade quanto se passou e como se passou naquele período negro e não se centra só nos judeus como vítimas, pois não esquece quem também foi perseguido , aprisionado e assassinado pelo regime  de Hitler, referindo o genocídio de ciganos e a eutanásia selectiva dos deficientes alemães, por exemplo. Além disso, o autor entrevistou  vítimas e carrascos - um destes achou importante testemunhar o que vira em Auschwitz, enquanto lá trabalhara como administrativo SS, porque  um seu companheiro  actual de lazer não concebia ser verdadeira a chacina levada a cabo nos campos nazis.

Um documento chocante pela brutalidade do que relata e pelos números espantosos de vítimas, embora pecando por defeito.

Penso que a não perder , pois  abarca muito mais do que é habitual  nas obras dedicadas à Segunda Guerra.

- "Esta procura de uma relação com uma figura com poder como meio de sobrevivência não se confinava a Auschwitz; também era um fenómeno comum na vida do gueto.Acontece que, aqui, o indivíduo com o poder de vida ou de morte tanto podia ser judeu como alemão."

 -  "Em Dezembro de 1941...Christian Wirth chegou a Belzec para ocupar o posto de comandante.Tinha cinquenta e seis anos.Em 1939, envolveu-se nas acções de eutanásia aplicadas aos doentes mentais, tendo ajudado a organizar o assassínio destes por meio de monóxido de carbono engarrafado. Em 1941, trabalhava na zona de Lublin, onde levava a cabo mais mortes por eutanásia...era um sádico."

- " Vera Alexander, uma prisioneira checoslovaca, apercebeu-se de perto da existência desta dualidade de personalidades em Mengele quando exercia as funções de Kapo num dos blocos destinados a crianças polacas e ciganas."

terça-feira, 24 de junho de 2014

PORTUGAL:PORTO(14-6-2014)


Após almoçarmos  nas estupendas Termas de S. Vicente, onde  dormiríamos,

 fomos de autocarro turístico  ....








 fazer uma uma visita panorâmica ao Porto.
 Parámos nos Aliados...

 subindo até aos Clérigos.
 Entrei , por um triz, na  famosa e bela Livraria Lello(onde comprei dois livros para memória).
 Dos Aliados...
 partimos ...
pela ponte D.Luiz, para Gaia.

domingo, 22 de junho de 2014

sábado, 21 de junho de 2014

sexta-feira, 13 de junho de 2014

EXCERTOS - "E A NOITE RODA"

" O muro à volta de Belém acaba de ficar completo: duas torres de controle, oito metros de betão de um lado e do outro, a imagem perfeita de um gueto. Não basta saber que isto existe, é preciso ver.Isto é possível agora, depois de todo o século XX.

No dia das eleições  há filas desde manhã cedo...Eleições livres e democráticas, confirmam os observadores internacionais. Depois, faz-se a contagem, e de manhã os observadores internacionais entram em choque: o Hamas ganhou.Pela primeira vez, é o grande vencedor em todos os territórios palestinianos.

Começa o tumulto , de Telavive à União Europeia...Os apoiantes da Fatah estão aturdidos.

Ao não aceitar  a eleição do Hamas  a mensagem da Europa foi : vamos apoiar os corruptos da Fatah."

ALEXANDRA LUCAS COELHO
( Grande Prémio de Romance e Novela APE/DGLAB 2012)

quarta-feira, 11 de junho de 2014

terça-feira, 10 de junho de 2014

DIA DE CAMÕES

    Alma minha gentil, que te partiste
 Tão cedo desta vida, descontente,
Repousa lá no Céu eternamente
      E viva eu cá na Terra sempre triste.

Se lá no assento etéreo onde subiste,
Memória desta vida se consente,
Não te esqueças daquele amor ardente
Que já nos olhos meus tão puro viste.

E se vires que pode merecer-te
Alguma cousa a dor que me ficou
Da mágoa, sem remédio, de perder-te

Roga a Deus, que teus anos encurtou,
Que tão cedo de cá me leve a ver-te,
Quão cedo de meus olhos te levou.


LUIZ VAZ DE CAMÕES

segunda-feira, 9 de junho de 2014

CITAÇÃO - POLLARD

"Imposto :

Arte de depenar um ganso o máximo possível com a menor gritaria possível."


POLLARD
(Século XIX)

sábado, 7 de junho de 2014

ESPANHA : SANTILLANA DEL MAR

 Em 26-4-2014, Santander estava sob uma intensa chuva,
 que nos impediu de apreciar devidamente a sua beleza e o Parque atrás do Camelo.
 Depois de um agradável almoço, saímos em direcção a uma terra lindissima :
 Santillana del Mar









 Admirando as suas casas  medievais ,bastantes delas brasonadas e percorrendo as suas ruas, chegámos...

 ao sinistro Museu da Tortura .
 Das três vezes que visitei Santillana del Mar, só numa consegui visitar a igreja da Colegiata  atrás de mim.
 Memória de que estamos muito perto das famosas Grutas de Altamira, encerradas ao público.
 Após a visita,  rumámos a...
Comillas.